sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Mais clichês

Eu poderia te explicar a paixão assim: sabe aquele corisco que dá no céu anunciando uma tempestade? Aquele raio que corre no céu quando vai chover? Então... é chuva forte no meio da tarde, em tempo quente. Paixão esquenta o corpo, faz acordar. Já o amor é chuva fina. Sabe, chuvinha insistente, teimosa que perdura o dia inteiro, num dia mais cinzento, que dá vontade de ficar quietinho, embolado. Paixão é que nem tequila, amor é como vinho (tinto e seco) e champagne é igual wisk, pura solidão.

5 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

a paixão com ela é dor na certa, sem ela não se sabe...

Renata Macedo disse...

Encontrei o seu blog no blog Disvagando! Nossa! Adorei os seus posts, principalmente aquele que vc discorda do Toni Garrido rs. Na verdade quando chega a sexta-feira as pessoas já ficam com um certo "comichão" para fazer alguma coisa, parece que é sagrado fazer alguma coisa, se não fizerem parece que o mundo vai acabar ... eu com certeza não sou assim e não fico nenhum pouco triste ou frustrada caso não faça nada de tão empolgante. Bom, a paixão ... concordo com tudo! Gênero, número e grau. Vou te linkar para poder te visitar mais vezes. Bjs e bom fds.

Tulio Malaspina disse...

to abrindo um vinho agora.

sozinho

Lívia Ferreira disse...

Estar sozinho não é estar em solidão.

Cadinho RoCo disse...

Encantado por tão vigorosa síntese.
Cadinho RoCo